Faça o mise en place

Navegue Pelo Artigo

Uma das coisas que mais gosto de fazer no meu tempo livre é ir em bons restaurantes, provar novas comidas, com boas companhias.

E foi durante o ápice da quarentena, quando tudo estava fechado, que decidi que iria me aventurar na gastronomia. Busquei logo os meus pratos favoritos e parti para a cozinha.

Mas as primeiras tentativas não saíram como o esperado…

No meio da receita eu lembrava que precisava adicionar algum ingrediente e corria atrás disso, mudava a ordem dos ingredientes, e acabava até mesmo me estressando no meio do processo que deveria ser prazeroso.

A grande mudança foi quando comecei a fazer o “mise en place”.

Que, na verdade, não é nada mais do que preparar a cozinha e os ingredientes antes de começar a cozinhar.

A partir desse momento tudo ficou muito mais fácil, o processo mais prazeroso e, claro, o resultado final muito melhor.

Agora, o que eu vejo na maior parte das pessoas que estão iniciando em Growth é tentar adquirir clientes e crescer a empresa sem antes fazer o “mise en place”, que aqui seria você separar, analisar e entender os dados antes de partir para a ação.

E o primeiro passo nesse caso é entender o cliente.

Separe os seus clientes em cohorts, isto é, safras segmentadas (ex: por idade, canal de aquisição, data de entrada, etc.) e analise onde estão os seus melhores resultados.

Qual o perfil de cliente que fica mais tempo com você?

Qual perfil de cliente possui a melhor relação LTV/CAC?

Com isso você já conseguirá ter uma visão de qual perfil de cliente traz mais resultado para o seu negócio.

Depois, busque conversar com seus clientes e entender a fundo o que eles pensam e quem eles são.

Aqui não tem segredo, é colocar a mão no telefone e ligar para entender: o que os clientes mais gostam e mais detestam em seu produto? Por que motivo eles escolheram a sua empresa? O que eles gostariam de ver na sua empresa, que não existe hoje?

Selecione as perguntas que realmente fazem sentido para o seu negócio, converse com seus clientes, e junte essas pesquisas com a análise de cohorts feita anteriormente.

Com esses dados você já terá material para começar as suas primeiras ações de growth com mais assertividade e eficiência.

 

PS: Quer receber reflexões como essa diretamente na sua caixa de entrada? Clique aqui e se inscreva para a eLetter Gratuita “Carta ao Gestor”

Gostou? Compartilhe

Compartilhe esse artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continue Lendo: Outros artigos que você pode gostar

No Gestão 4.0 nossa missão é ajudar gestores e líderes de negócios a inovarem e gerarem mais resultados.

Se você quer aprender com alguns dos melhores empreendedores do país, preencha o formulário e receba nossos conteúdos gratuitos.

Descubra como você pode se tornar um Gestor 4.0

Confira mais conteúdos do G4 no Instagram

×