Apagando Incêndios: aprenda com a história da Lego

O que fazer quando tudo parece estar dando errado?

Essa é uma pergunta comum no mundo dos negócios, mas a realidade é que seria pretensioso demais dar uma resposta única – afinal, não existe “resposta correta”.

O que podemos fazer é nos basear em exemplos de casos práticos e reais. E nada melhor para isso do que a história de uma empresa que passou por problemas gigantes até se tornar uma das marcas mais poderosas do mundo.

Em 1916, um carpinteiro dinamarquês chamado Ole Kirk Christiansen decidiu transformar sua paixão pelo trabalho em uma empresa de móveis de madeira. Nos primeiros anos o negócio estava dando bons resultados e ele até contratou uma pequena equipe.

Até que em 1924 um de seus filhos causou um incêndio acidental no local e acabou com tudo o que havia sido construído. Nem mesmo a casa da família se salvou, era um situação que tinha tudo para paralisar Ole.

Mas ele viu ali, naquele incêndio, a oportunidade de se construir uma fábrica ainda maior e expandir os negócios.

Rapidamente Ole voltou para a ação e continuou os negócios. Mas logo apareceu um novo – e grande – problema: 1929, a maior crise financeira da história.

A demanda pelos móveis era próxima a zero neste momento e a única solução possível foi demitir seus últimos funcionários. Ele estava praticamente indo a falência quando decidiu que iria mudar totalmente a empresa, para uma fábrica de brinquedos.

Execute rápido

Foi da junção das palavras Leg Godt (Brincar bem) que nasceu a Lego.

Com o que tinha sobrado de madeira da antiga fábrica de móveis e seu conhecimento que adquiriu durante anos como carpinteiro, Ole começou a fabricar os brinquedos rapidamente. Mesmo em um momento tão difícil, seu foco era um só: fazer um produto de altíssima qualidade.

Um de seus filhos contou que, quando foi trabalhar com seu pai, um dia decidiu que para economizar passaria apenas duas camadas de verniz no local de três. Quando Ole descobriu ficou extremamente irritado e obrigou o filho a refazer o processo da forma correta.

Foi graças a qualidade do produto que ele conseguiu a atenção de um grande atacadista, que fez uma encomenda de brinquedos para o Natal. Foram horas de trabalho, para o que seria a maior entrega da história da empresa até então.

Mas faltando poucos dias para a data de entrega ele recebeu uma carta: o atacadista havia falido. Para tentar reverter o problema, Ole saiu às ruas, viajando pelo país e conseguiu vender o que havia restado.

Com pequenos passos a Lego ia se tornando uma empresa com melhor maquinário, mais colaboradores e uma qualidade impecável. Finalmente, estava dando tudo certo…

Ao menos até 1942, quando um novo incêndio atingiu a fábrica.

Não sobrou nada e o trabalho de anos tinha sido literalmente queimado. Mas novamente Ole, junto com seus filhos, foi capaz de reconstruir a empresa.

Pouco tempo depois eles começaram a fabricar brinquedos de plástico e isso possibilitou um crescimento ainda mais acelerado. Mas ainda assim, não havia um diferencial, eles eram muito similares aos outros brinquedos.

Oportunidades disfarçadas

Foi com isso que eles perceberam que era preciso criar um sistema, algo que estimulasse a criatividade, não brinquedos prontos. Foi aí que surgiram os famosos blocos de montar, que a empresa popularizou e que, por isso, chamamos de Lego. 

São pequenos tijolos de plástico com tubos que se conectam e podem montar praticamente qualquer coisa. Eles estavam começando a colocar essa ideia em prática até que, adivinhe… mais um incêndio.

E talvez, este tenha sido o mais importante de todos eles. Foi aí que eles decidiram colocar todos os seus esforços nesses tijolos de plástico que tornaram a marca mundialmente reconhecida.

Atualmente a Lego fatura mais de cinco bilhões de euros por ano e possui mais de 18.000 colaboradores em 15 países. Licencia várias marcas famosas, como Star Wars e Batman. Além disso, tem vários filmes e videogames usando a marca!  

Mas como podemos ver, nem sempre foi assim.

O crescimento da Lego nos mostra a importância de uma cultura com foco no cliente, buscando oferecer o melhor produto e sempre ir além.

Uma marca forte não é criada apenas com sucessos

Problemas vão acontecer e o que importa de verdade é o que você faz com eles. Afinal, você provavelmente não passará por três incêndios devastadores, a maior crise financeira da história e uma guerra mundial.

Mas o que os fundadores da Lego perceberam é que ficar parado frente aos problemas não adiantaria de nada. Se você busca o crescimento é importante estar sempre atrás de como melhorar e até mesmo pivotar se necessário.

Atualmente estes conceitos já estão repetitivos e parecem palavras da moda, mas a realidade é que a Lego já nos mostra muito bem que o que precisa ser feito independe de estarmos em 2020 ou em 1920.

Compartilhe esse artigo

Deixe uma resposta

Continue Lendo: Outros artigos que você pode gostar

No Gestão 4.0 nossa missão é ajudar gestores e líderes de negócios a inovarem e gerarem mais resultados.

Se você quer aprender com alguns dos melhores empreendedores do país, preencha o formulário e receba nossos conteúdos gratuitos.

Descubra como você pode se tornar um Gestor 4.0

Conteúdo sobre negócios, marketing e vendas no seu celular