Mudança de planos

Navegue Pelo Artigo

“Todo mundo tem um plano até tomar o primeiro soco na cara”

Mike Tyson

Como a sua equipe reage quando existe uma mudança de planos?

Alguma vez você já sentiu que o seu time fica perdido quando acontecem mudanças no meio do caminho?

Esse é um problema recorrente em boa parte das empresas. Os gestores passam os planos em detalhes aos seus liderados, até que acontece uma pequena mudança de rota e ninguém sabe mais o que precisa fazer.

Até você conseguir alinhar o time novamente, já se foram horas, dias, até semanas, dependendo do tamanho do problema.

Agora, se esse movimento já é danoso em uma empresa, imagine em uma guerra…

Quando você está no campo de batalha e algo não sai como o esperado, não dá para chamar o time na sala de reunião e discutir os próximos passos. Cada minuto perdido é extremamente valioso.

Para evitar que isso aconteça, os Navy SEALs do exército americano utilizam de um conceito que eles chamam de “Commander’s intent”.

Ao invés de entrar em detalhes do que cada membro do time deve fazer, o comandante passa ao liderado a sua missão, e a importância dessa missão dentro do plano como um todo.

Dessa forma, todos entendem seus papéis e sabem o que precisam fazer para que o time todo saia vitorioso.

Se todos sabem o que precisa ser feito, as mudanças no meio do caminho param de ser tratadas como um grande problema e se tornam naturais. Afinal, o que importa é o resultado final e não o processo a ser seguido.

Conceitos militares muitas vezes nos trazem ótimos insights para ações que podemos tomar em nossas empresas. A guerra é um ambiente extremo onde, guardadas as devidas proporções, muitos problemas são parecidos com os que vivemos em qualquer outra organização.

Então, como você vai levar o conceito de “Commander’s Intent” para a sua empresa?

Minha dica é que você busque primeiramente garantir que todos estejam alinhados em busca de um mesmo objetivo.

Com um time de bons profissionais, alinhados em uma mesma direção, você precisa dar autonomia para eles. Busque descentralizar o poder, trocando o controle excessivo em cima do seu time, pela confiança de que eles farão um bom trabalho. Dessa forma, seu time se tornará mais ágil e estará preparado quando as coisas saírem do controle.

E acredite: provavelmente elas vão sair.

Dificilmente tudo vai acontecer exatamente como o planejado, mas o que realmente importa aqui é a forma como você vai agir diante dos problemas que aparecem no caminho. E para ser mais eficiente na resolução de problemas, você precisa ser rápido.

Como o Tallis Gomes sempre fala em sua aula no Gestão 4.0 – Imersão e Mentoria: a velocidade é o principal recurso de um gestor 4.0.

E aí, o que achou desses insights? Para receber mais conteúdos como esse, aperte aqui e se inscreva eLetter “Carta ao Gestor”!

Gostou? Compartilhe

Compartilhe esse artigo

Uma resposta

  1. Excelente esclarecimento .. o quão é importante o gestor saber direcionar e repassar somente a missão que o seu time deve cumprir!
    Aprendi um pouco mais hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continue Lendo: Outros artigos que você pode gostar

No Gestão 4.0 nossa missão é ajudar gestores e líderes de negócios a inovarem e gerarem mais resultados.

Se você quer aprender com alguns dos melhores empreendedores do país, preencha o formulário e receba nossos conteúdos gratuitos.

Descubra como você pode se tornar um Gestor 4.0

Confira mais conteúdos do G4 no Instagram

×