Pássaros aos porcos

Navegue Pelo Artigo

Lembro que quando era mais novo o jogo “Angry Birds” foi uma febre.

No jogo você liderava um “esquadrão de pássaros”, tentando resgatar os ovos que haviam sido roubados por um exército de porcos.

Para fazer isso, você lançava membros do seu time, utilizando um estilingue gigante, e acertava os porquinhos.

E não para por aí, cada pássaro tinha um poder espacial.

Alguns voavam mais rápidos, outros explodiam, e outros soltavam ovos bombas, o que confesso, sempre julguei contraditório visto o objetivo inicial de resgatar os ovos roubados.

Mas no fim, o seu objetivo era o mesmo: utilizar da melhor forma possível, os pássaros do seu time, cada um com a sua habilidade específica, para vencer cada rodada.

Hoje, quero conversar com você sobre as lições por trás daquele jogo.

E não, não estou aqui falando das lições vindas da Rovio, a produtora do jogo, listada em Bolsa e avaliada em mais de 500 milhões de dólares.

Mas sim, do jogo de forma mais direta.

E como arremessar pássaros virtuais por meio de um estilingue para acertar porcos ladrões de ovos, pode te ensinar algumas coisas.

A começar pela sorte.

Como falei, no jogo você usava um estilingue gigante para arremessar pássaros com poderes especiais e derrotas or porcos.

Porém, quais pássaros você recebia dependia do jogo, e em nada tinha relação com a sua habilidade enquanto jogados.

Assim como a ordem em que os tais passarinhos eram disponibilizados para lançamento, também parecia ser aleatória e você precisava “se virar com o que tinha”.

Na vida real, as coisas não são muito diferentes, afinal, não importa quanta habilidade ou preparo você tenha, a sorte sempre terá participação nos seus resultados.

Já a segunda lição é sobre o uso correto dos recursos disponíveis.
Lembra aquele papo de que cada pássaro no jogo tinha um poder especial?

Nos negócios os pássaros são os membros do seu time, e cada um deles tem o seu próprio poder especial, que no caso, são suas habilidades e aptidões.

Se no jogo você precisava escolher qual pássaro lançar em cada porco escondido no mapa, no mundo real, você precisa saber qual membro do time alocar para cada tarefa.

Como otimizar a sua organização e dar o trabalho certo, para a pessoa certa, no momento certo?

Por fim, uma última lição a ser tirada do jogo?

“Try to have fun”.

Sim, empreender é algo sério e desafiador.

No Poker seria o que chamamos de “A high stakes game”, onde o potencial de perdas e ganhos são muito altos.

E assim, é importante que você tenha seriedade e comprometimento.

Porém, é igualmente importante que você se divirta no processo.

Criar um negócio não é algo que você deveria fazer apenas em busca do dinheiro.

Mas sim, por ser algo que te inspira a acordar todos os dias pela manhã.

O seu negócio deveria ser aquilo que te faz acreditar que você está fazendo do mundo, um lugar melhor.

Claro, nem todos os dias serão assim, mas os dias que são, deveriam mais do que compensar, os dias que não.

Afinal, se você não se divertir no processo, dificilmente vai aguentar todo o caminho até o sucesso.

Gostou? Compartilhe

Compartilhe esse artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continue Lendo: Outros artigos que você pode gostar

No Gestão 4.0 nossa missão é ajudar gestores e líderes de negócios a inovarem e gerarem mais resultados.

Se você quer aprender com alguns dos melhores empreendedores do país, preencha o formulário e receba nossos conteúdos gratuitos.

Descubra como você pode se tornar um Gestor 4.0

Confira mais conteúdos do G4 no Instagram

×