Gestão

O que é empreendedorismo: o principal agente de transformação da sociedade

Começar um negócio não é fácil e escalá-lo e ainda mais difícil. Você pode pensar que a sua ideia de negócio é totalmente original, mas existe a possibilidade de que outra pessoa tenha pensado no mesmo conceito. No entanto, isso não significa que você deve desistir ou que você deve correr para lançar o seu produto antes de todos, mesmo que muitos empreendedores sigam o ditado “feito é melhor do que perfeito”.

A questão não é ser o primeiro, mas sim o melhor e, hoje em dia, o melhor é o empreendimento que entrega o maior valor para o consumidor. Hoje, consumidores possuem muito mais poder e mais escolha do que antes e eles irão escolher e apoiar aquelas empresas que estão do lado deles. Como esses negócios facilitarão a vida deles e as tornarão mais agradável e mais relevante?

Ao considerar a vantagem competitiva do seu negócio, comece com as necessidades das pessoas que você está pronto para servir.

O que é empreendedorismo?

Empreendedorismo é o processo no qual uma pessoa (ou um grupo de pessoas) explora uma oportunidade comercial, seja trazendo um novo produto ou serviço ao mercado ou melhorando substancialmente um bem, serviço ou método de produção existente afim de solucionar um problema enfrentado por diversas pessoas e gerar lucro durante o processo.

Esse processo é normalmente organizado através de uma nova empresa ou comercio ou até mesmo dentro uma alguma empresa já estabelecida que passa por uma mudança significativa na parte de produtos ou em sua estratégia.

Além disso, o empreendedorismo é a maneira que muitas pessoas encontram para conseguirem controlar suas carreiras e seus sonhos e guiá-los na direção que eles desejam, ou seja, construir uma vida de acordo com as suas vontades.

“Empreender é uma atividade extremamente arriscada em que você aposta – literalmente – a própria vida para gerar empregos e entregar valor à sociedade”

Tallis Gomes
Fundador da Easy Taxi, Singu e Gestão 4.0
(Crédito: Forbes Brasil / Divulgação)

Tipos de empreendedorismo

Empreendedor Individual

Individuo que quer começar um negócio e pode faturar até R$360.000 por ano. Caso fature até R$81.000 por ano, você é considerado um microempreendedor individual.

Empreendedorismo para Pequenos Negócios

Ideia de abrir um negócio sem convertê-lo em um conglomerado ou sem abrir muitas franquias. Exemplos: um supermercado que não faz parte de uma rede e uma loja de varejo que vende produtos feitos a mão.

Startup

Começam com uma única ideia com a pretensão de apresentar um produto ou serviço único e inovador que, ao ser escalável, fará com que a empresa cresça junto com ele.

As maiores Startups do Brasil (em base a valor de mercado)

  • Nubank (US$25B)
  • Wildlife Studios (US$3B)
  • Loft (US$2.9B)
  • C6 Bank (US$2.1B)
  • Creditas (US$1.75B)
  • VTEX (US$1.7B)
(Na foto: David Velez e Cristina Junqueira, fundadores do Nubak) (Crédito: InvestNews)

Caso você queira saber mais sobre gestão, liderança e inovação siga o podcast “Papo de Gestão” ou escute o bate-papo que Tallis Gomes teve com David Velez e Cristina Junqueira

Grande Empresa

Nova divisão criada dentro de uma empresa já existente. A empresa existente pode estar bem-posicionada para se ramificar em outros setores ou pode estar bem-posicionada para se envolver com novas tecnologias.

Empreendedorismo Social

O objetivo é criar um benefício para a sociedade focando em ajudar comunidades ou o meio ambiente através de seus produtos ou serviços.

Como o empreendedorismo melhor a economia

  • Em um mercado cheio de incertezas, é o empreendedor quem pode realmente ajudar a esclarecer todas essas incertezas ao fazer julgamentos ou assumir riscos.
  • O empreendedorismo cria oportunidades de emprego ao investir em bens e serviços que, muitas vezes, criam um efeito cascata, resultando em mais e mais desenvolvimento.
  • Empreendedores, junto com seus novos produtos ou tecnologias, criam mercados e geram novas riquezas que, consequentemente, aumentam os rendimentos que contribuem para a base tributária de uma nação, permitindo assim, maiores gastos do governo em projetos públicos.
  • Empreendedores criam uma mudança social ao romper com certas tradições através de invenções únicas que reduzem a dependência dos métodos e sistemas já existentes.
  • Empreendedores investem em projetos sociais e ajudam instituições de caridade e organizações sem fins lucrativos, apoiando muito as suas causas.

Segundo Milton Friedman, renomado economista, estatístico e escritor norte-americano, a combinação entre o sistema de preços, a busca pelo lucro e o empreendedorismo––considerados como os mecanismo do mercado––é considerada como o melhor agente transformador da sociedade além de ser a melhor rota para incrementar a riqueza da população.

(Na Foto: Milton Friedman (1912 – 2006)) (Crédito: Fortune / Bachrach/ Getty Images)

Boas práticas para empreender

Identifique um problema que você se empenhe em resolver

O melhor combustível do empreendedor é conexão pessoal que ele tem com o trabalho que está sendo feito. Independente de como surgiu a ideia do seu negócio, você tem que sentir que para resolver a dor que você encontrou não existe outra solução do que lançar o seu negócio naquele momento específico.

Além disso, a motivação é ainda maior caso você faça parte de um segmento de consumidores que não é atendido pelas ofertas atuais ou caso você simplesmente se depare com uma frustração muito específica todos os dias, frustração que outras pessoas certamente compartilharão.

Considere seu papel como fundador

Mais do que nunca, as pessoas consideram e prestam muito mais atenção nos líderes de cada empresa e é muito difícil de se ter uma conexão pessoal com uma entidade sem nome e/ou sem uma cara vinculada a ela, além de que, como consumidor, é muito mais gratificante apoiar marcas que são construídas por indivíduos que possuem uma história convincente.

Como líder, você dará um grande passo para estabelecer um relacionamento autêntico com o seu público se estiver disposto a tentar, de todos os jeitos, se comunicar diretamente com o seu consumidor. Além disso, essa relação de proximidade entre você, a sua marca e os seus clientes farão com que eles não só amem o seu produto como também torçam pelo seu sucesso e o da sua marca.

Determine como você irá gerar valor na vida das outras pessoas

Ainda que você possua uma ideia que irá resolver a dor de muitas pessoas, essa mesma ideia poderá existir na mente de outros empreendedores. Dito isso, é importante que você entenda que a questão não é ser o primeiro, mas sim ser o que resolve a dor e entrega o maior valor possível ao consumidor.

Se você não for teimoso, desistirá muito rápido dos experimentos. Se você não for flexível, vai bater sua cabeça contra a parede e não enxergará uma diferente solução para um problema que está tentando resolver

Jeff Bezos
Fundador da Amazon
(Crédito: Bloog / David Ryder / Getty Images)

Encontre seu equilíbrio

Quando você gere um negócio é normal que exista a necessidade de resolver problemas que constantemente te puxem para 10 direções diferentes. Como capitão do seu barco, muitas das reações que você terá perante a diferentes situações impactarão na reação que o seu time terá diante das mesmas e, desta forma, é importante que você permaneça bem enraizado e centrado.

Você não conseguirá ter controle sobre tudo, porém é importante que você encontre um equilíbrio para que a situação não fuja completamente do controle que você sim pode ter.

Construir um negócio é uma maratona, não um Sprint

Tenha paciência, seja consistente e construa o “momentum” todos os dias. A consistência realmente importa e, caso você, como líder, se sinta estagnado, pause, olhe para o panorama geral, tire um tempo para analisá-lo, crie um plano e ataque-o.

Ainda que você possua grandes expectativas é importante que você mantenha a calma, celebre cada vitória, nutra a sua paixão, porém continue firme, forte e focado em completar a maratona para não acelerar em momentos equivocados.

Empreender envolve muitos riscos e você viverá uma montanha russa de emoções. Neste caso, a única forma de você se controlar, seguir em frente e conseguir executar, sobretudo em dias ruins, é com muita disciplina.

Mergulhe no processo

É totalmente compreensível que você, ao se lançar como empreendedor, queira manter algum outro trabalho que te traz uma certa estabilidade financeira até que o seu negócio comece a decolar. No entanto, fundar uma empresa é como ter 5 trabalhos de tempo-completo ao invés de simplesmente fazer isso como part-time.

No entanto, você pode fazer começar o seu empreendimento como side hustle (projeto paralelo), porém isso se refletirá no tempo que a sua empresa demorará para escalar, além do fato de que os seus possíveis competidores podem estar avançando em um ritmo muito mais acelerado.

Por último, reconheça que a sua jornada empreendedora “só começará” quando você se jogar de cabeça, se comprometendo com a sua visão e tomando o controle do resultado.

Sempre volte para o “porque”

Em tempos difíceis, é importante que você sempre olhe e foque no produto ou serviço e planeje a melhor maneira de pivotar quando necessário. Encontre o seu “porque”, cole-o no seu escritório e, nos momentos em que você se encontrar perdido ou desmotivado, olhe para o motivo pelo qual você iniciou esse projeto.

Mulheres Empreendedoras

Nos últimos dois, as mulheres vêm aumentando sua presença dentro do empreendedorismo nacional. De acordo com estudos realizados pelo Sebrae, são 9,3 milhões de mulheres liderando empresas dentro do Brasil, ou seja, 34% de todos os donos de negócios no país.  

Além disso, outras características de mulheres empreendedores vem ganhando destaque:

  • Elas são mais jovens e possuem um nível de escolaridade 16% maior ao dos homens;
  • Representam 48% dos microempreendedores individuais (MEIs);
  • Principais setores de atuação: beleza, moda e alimentação;
  • Proporção de mulheres entre os “empreendedores iniciais”: o Brasil se encontra sétima posição (entre 49 países)
  • Nos Estados Unidos, pela primeira vez na história, todas as empresas dentro do S&P 500 possuem ao menos uma mulher entre os membros de seu conselho.

Por último, hoje em dia, diversas mulheres vêm sendo apontadas para ocupar cargos altos em empresas, sobretudo em momentos turbulentos. Esse movimento se deve a que mulheres são consideradas boas em resolver problemas e contornar situações complicadas ao possuir uma ótima capacidade de conciliação e colaboração, ter mais empatia do que muitos homens, conseguir trabalhar mais nos bastidores e prezar por um maior engajamento com sua equipe, características dadas como importantes em épocas de crise.

Alguns exemplos atuais e históricos de empreendedoras de sucesso incluem Luiza Helena Trajano, Madam C.J. Walker e Whitney Wolfe Herd.

Luiza Helena Trajano

Advogada, empresária, maior acionista e presidente do Conselho de Administração da Magazine Luiza com uma fortuna estimada em US$5,3 bilhões. Trajano transformou uma rede de lojas de varejo do interior de São Paulo em uma referência de comercio, tanto físico como virtual, e de inovação. A Magazine Luiza tem cerca de 1000 lojas distribuídas em 16 estados, um dos maiores e-commerce do Brasil e emprega mais de 40.000 funcionários.

Além disso, Trajano fundou e lidera o “Grupo Mulheres do Brasil” desde 2012 onde fazem parte profissionais de diferentes segmentos da economia.

Errar, todo mundo erra. Você precisa dar espaço para que um novo erro aconteça. O importante é redirecionar o erro rapidamente

Luiza Helena Trajano
(Crédito: InfoMoney / Flávio Santana / Biofoto)

Madam C.J. Walker (1867 – 1919)

Empreendedora, filantropa e ativista e a primeira mulher que se tornou milionária nos Estados Unidos, segundo o Guinness Book of World Records, através do desenvolvimento e marketing da linha de cosméticos e produtos capilares para mulheres pretas chamada Madam C. J. Walker Manufacturing Company.

Whitney Wolfe Herd

Empresária de 31 anos fundadora do aplicativo de relacionamentos Bumble e a mulher mais jovem a se tornar bilionária após a abertura de capital na bolsa de sua empresa. Além do Bumble, Herd também fez parte do time que fundou seu concorrente, o Tinder. O Bumble hoje tem um valor estimado em US$10 bilhões e emprega 650 pessoas.

Empreendedorismo no Brasil

De acordo com dados do Global Entrepreneurship Monitor, em 2020, mais ou menos 23,4% da população adulta no Brasil esteve envolvida em atividade empresarial total no estágio inicial enquanto 13,4% estiveram envolvidos já seja como gerentes ou proprietários de um novo negócio (em operação há mais de 3 meses).

No entanto, o número total de empreendedores no país caiu de 53,4 milhões (2019) para 43,9 milhões no ano passado, predominantemente por conta da pandemia.

Em 2021, entretanto, podemos ver uma melhoria no cenário empreendedor já que, segundo pesquisa conduzida pela Serasa Experian, 312,462 novos registros para microempreendedores foram abertos em janeiro, o maior registro desde 2010 e um aumento de 21% em relação a janeiro de 2020. Somando MEIs e outros portes de empresa temos um total de 370.581 novos empreendimentos abertos, o que representa um aumento de 15,6% numa base anual.

Dentro do mercado de startups, o Brasil segue crescendo. Em setembro de 2020, a Statista reportou que são aproximadamente 13,273 startups registradas no país, quase 500 a mais do que em 2019. Se comparamos com 2012, onde o número reportado foi de 2.519, esse crescimento se torna ainda mais significativo. Dentro dos principais setores econômicos, o principal foi o de educação com 8,28%.

(Crédito: Statista)

“A possibilidade de trabalhar para si mesmo e alavancar seus ganhos financeiros passou a ser mais interessante para os brasileiros, principalmente devido ao momento de crise no mercado de trabalho formal

Luiz Rabi
Economista da Serasa Experian

Livros sobre empreendedorismo

Nada Easy: O passo a passo de como combinei gestão, inovação e criatividade para levar minha empresa a 35 países em 4 anos

Autor: Tallis Gomes

Data da Primeira Publicação: 18 de agosto de 2017

Link para comprar na Amazon aqui.

Em “Nada Easy”, Tallis Gomes, empreendedor brasileiro e fundador da Easy Taxi, Singu e Gestão 4.0, traz um guia prático para futuros empreendedores com pretensões de abrir, escalar e gerenciar uma startup no Brasil. A partir de suas próprias experiências, que vem desde que começou a vender celulares durante a adolescência até os problemas enfrentados durante sua jornada histórica de levar o Easy Taxi para 35 países.

Como o próprio Tallis Gomes diz: “Não pense que encontrará aqui case bonitos do Vale do Silício ou ideias importadas. Não é o caso. Nas próximas páginas, está a realidade de quem tenta fazer com que uma startup dê certo no Brasil – e há muitas dificuldades por aqui.”

De Zero a Um: o que aprender sobre empreendedorismo com o Vale do Silício

Autor: Peter Thiel & Blake Masters

Título Original: Zero to One: Notes on Startups, or How to Build the Future

Data da Primeira Publicação: 16 de setembro de 2014

Link para comprar na Amazon aqui.

Peter Thiel é o fundador do PayPal e da Palantir, empresa de data analytics, e é conhecido por ser um dos primeiros investidores externos do Facebook.

“De Zero a Um” é um livro de autoajuda para empreendedores trazendo muito do entusiasmo e da confiança radiante sobre o futuro que só as startups podem construir. No entanto, muito mais do que isso, é também uma profunda e lúcida articulação sobre o capitalismo e o sucesso na economia do século XXI.

A Startup Enxuta: como usar a inovação contínua para criar negócios radicalmente bem-sucedidos

Autor: Eric Ries

Título Original: The Lean Startup: How Today’s Entrepreneus Use Continuous Innovation to Create Radically Successful Businesses

Data da Primeira Publicação: 2011

Link para comprar na Amazon aqui.

Em “A Startup Enxuta”, ter uma gestão flexível e visando à aprendizagem contribuem para o sucesso de uma startup. As startups consideradas enxutas são as focadas em atender principalmente os seus clientes através de seus produtos além de se adaptar às necessidades do mercado-alvo ao adquirir o conhecimento exato sobre as dores e as necessidades vividas por seus clientes por meio da experimentação.

A Startup Enxuta” é considerado por muitos como a “Bíblia” do empreendedorismo para startups. Além disso, ressaltar que o conteúdo do livro também serve como modelo de mentalidade para negócios tradicionais.

Conclusão

Nunca houve uma época melhor para se empreender do que agora. As pessoas não somente estão abertas a novas marcas, mas sim as estão desejando. As expectativas, porém, estão muito mais altas por parte dos consumidores que agora estão exigindo mais transparência, valor, responsabilidade e satisfação por parte das marcas que eles consomem.

No entanto, do mesmo jeito que vivemos em uma época propensa ao empreendedorismo, também vivemos em uma época muito competitiva devido a que as barreiras de entrada para iniciar um novo negócio estão cada vez mais baixas à medida que a tecnologia se torna mais acessível e fácil de usar.

Por isso, ao pensar em iniciar um projeto, empresa ou startup, pergunte-se: será que o mundo precisa de mais uma empresa oferecendo algum produto já existente no mercado? Possivelmente não. Mas, será que o mundo precisa da sua empresa, que oferece algum produto já existente no mercado, porém que resolve uma dor vivida por muitas pessoas? Possivelmente sim.

Caso você possua uma verdadeira conexão com a sua ideia e caso você estiver realmente disposto a solucionar a dor vivida por muitas pessoas para tornar as suas vidas um pouco mais práticas, você está no caminho certo.

Para dominar ainda mais o assunto e conseguir alavancar e revolucionar o seu negócio, conheça o G4Startups, nosso curso sobre como criar uma Startup e como conseguir colocar seus planos em prática em um período de 8 semanas, com um manual prático ensinado por alguns dos maiores empreendedores do país e responsáveis por construir empresas bilionárias.